DECISÕES DO INSS MUITAS VEZES SÃO COMPLETAMENTE ANULADAS EM NOVO PEDIDO DE APOSENTADORIA E, O QUE DEVO FAZER?

Não rara vezes somos indagados por segurados que sozinhos ou até mesmo com auxílio de terceiros, buscam um pedido de aposentadoria e recebem a notícia que faltam poucos meses para completar seu tempo.

Passados esses poucos meses e “certos” de que completaram o tempo necessário para se aposentarem, de acordo com a decisão anterior, procuram novamente o INSS, cientes que haviam completado o período de contribuição necessários à sua aposentação.

Ocorre que são na maioria das vezes surpreendidos com uma decisão negativa e, que informam em diversos casos um período ainda menor do que a conclusão do pedido anterior, e, levam os segurados a indagarem quais motivos de tamanha incongruências nas decisões do órgão estatal?.

Um dos fatos de isso ocorrer é que o INSS trata cada pedido como um novo e, independente e, quando trata-se de pedidos insalubres reconhecidos em pedido anterior, acabam levando à perícia médica que em muitos e muitos casos nessa nova análise acabam negando esses períodos insalubres que outrora foram concedidos.

Referida atitude fere diretamente a própria Instrução Normativa do INSS que determina que períodos insalubres reconhecidos como tais em pedido anterior NÃO devem ser analisados em novo pedido e, sim reconhecidos automaticamente como insalubres, cabendo analisar apenas os períodos novos não concedidos no passado ou períodos antigos não concedidos que tragam novos documentos/elementos.

Assim, para essas pessoas que tiveram que esperar mais que o necessário para se aposentarem por análises errôneas como essa aqui exemplificada, devem procurar um Advogado especialista para que busquem uma revisão na sua aposentadoria e, para aqueles que tiveram períodos negados em novo pedido e, por isso ainda não conseguiram sua aposentadoria, também devem procurar um advogado especialista para que busquem em recurso, inclusive dentro do próprio INSS, a mantença de períodos já reconhecidos no passado e, portanto, não passíveis de nova discussão.

O escritório do Dr. Gustavo Ferraz de Oliveira tem cuidado de diversos e diversos casos como esse com sucesso e, alerta tais segurados que procurem ajuda de um advogado especialista para que não paguem/contribuam mais do que realmente necessário para a sua aposentadoria.

Quer saber mais agende um horários e tire suas duvidas pessoalmente em www.advferraz.com.br.